segunda-feira, 1 de abril de 2013

DIA DA MENTIRA: PASSADO, PRESENTE E FUTURO!


Histórias da carochinha ou de pescador. Pode ser um exagero, enrolação ou forma de encobrir um erro. Têm aqueles que afirmam estarem apenas omitindo e também os falastrões, que transformam uma realidade em exagero. Alguns tentam amenizar, dizendo “isso é uma inverdade!”, e outros que fazem com más intenções, quando fingem ser alguém. Na verdade, é tudo mentira!

E por serem tantos tipos, o 1º de abril não deveria ser o dia das mentiras, no plural? O que é fato é que essa data surgiu no século XVI, na França, quando foi adotado o calendário gregoriano, que estabeleceu que o primeiro dia do ano fosse o 1º de Janeiro. Até então se comemorava o ano novo junto com a chegada da primavera, entre 25 de Março e 1º de Abril.  Muitas pessoas acabaram sendo conservadoras com relação à nova data, e como brincadeira, as pessoas que aceitaram a nova data enviavam presentes de mentira, criando-se assim a tradição do dia da mentira.

A "nova ferramenta" faz buscas de aromas pela web,
possibilitando ao internauta resgatar cheiros
que ele não sente a muito tempo.
Hoje a data é um festejo mundial. Nesse ano várias brincadeiras surgiram, como o Google Maps que ajuda com na busca pelo baú com o tesouro e também o Google Noise, um recurso falso que prometia uma pesquisa de cheiros. A Nokia, empresa que sempre trabalhou com celulares, também lançou um falso aparelho de microondas. E o Opinião Pro Mundo também entrou na brincadeira:

Senhoras e senhores, sejam bem vindos ao Opinião Pro Mundo do ano de 2018, um período em que o Brasil vive com uma autoestima elevada e que coisas que hoje parecem impossíveis, aconteceram! Brincadeira a parte, o nosso desejo é que esse futuro de fato aconteça em algum tempo.




Um comentário:

Bruna Laranjeira disse...

Pois é Lucas, é uma pena que por enquanto essas mudanças só fiquem no primeiro de Abril...