quinta-feira, 18 de abril de 2013

DIA NACIONAL DO LIVRO INFANTIL

18 de abril é uma data especial para o calendário da nossa literatura, é o Dia Nacional do Livro Infantil e de justa homenagem a José Bento Renato Monteiro Lobato, precursor e umas das principais referências na formação do conjunto de obras literárias infanto-juvenil no Brasil. Em resumo, 18 de abril é dia de festa.  

E você sabe o que é melhor do que ouvir falar dessa tal festa? É participar dela e perceber como é encantador habitar no mundo das cores, saboreando, em cada página do livro, o admirável banquete proporcionado pela riqueza do universo de contos, gêneros, prosas, ficções, narrativas folclóricas, historietas, estórias.

Subir em um pé de feijão e bem lá no alto descobrir a exuberância desmedida de um mundo paralelo. Sonhar com as estrelas e se encantar desesperadamente com o romance entre a Lua e o Sol. Fazer do oceano um viveiro de peixes falantes, brilhantes e coloridos em busca de uma vida encantada e regada de sonhos ou até mesmo se indignar com a bruxa que tentou matar uma linda moça com uma maçã envenenada. Tudo propiciado pela magia dos livros.


Os livros exercem uma função importante na nossa sociabilização e na formação educacional, já que ratifica a missão fundamental do aprendizado, desencadeando uma ação voluntária para o desenvolvimento de pessoas críticas, participativas e edificadas, conceitualmente preparadas para construir um mundo diferente do qual discordamos.

Através da leitura regular, reagimos facilmente às mínimas impressões físicas ou morais, além de diversificarmos o vocabulário e a produção escrita, agilizamos o raciocínio lógico e aguçamos a nossa capacidade lúdica de imaginação. Isso nos torna, já na infância, mais compreensivos ao mundo que habitamos e sensíveis ao mundo que habita em nós.

Comemore o 18 de abril não apenas como o Dia Nacional do Livro Infantil ou o Dia de Monteiro Lobato, mas também como o dia que tem a diversão acima de qualquer outro propósito. Comemore como o dia que representa a possibilidade real de que os nossos heróis, improváveis e inocentes, deixem as suas glórias para viver junto de nós, e principalmente, dia que simboliza a eterna liberdade de sonhar e colorir o mundo em que os homens de “coração sem cor” choram a dor da falta de imaginação. 

Assista abaixo, uma reportagem do projeto "Lê Pra Mim", produzida por Lucas Coutinho e por mim. O projeto tem o objetivo de incentivar a leitura de livros infantis brasileiros, com atividades culturais. Esta edição contou com a participação de artistas e personalidades como o ator Erick Marmo e a escritora Mabel Veloso.


                            

Um comentário:

Antônio Athanazzio disse...

"Quem lê nunca deixa de sonhar, e nunca está sozinho"...Gostei muito da matéria e conhecer esse projeto muito bonito! Parabéns!!!