quinta-feira, 11 de abril de 2013

MEU MELHOR PRESENTE DE ANIVERSÁRIO

No dia do meu aniversário, minha prima de 8 anos me ligou, dando-me os parabéns pela data, desejou que eu fosse a pessoa mais feliz do mundo e antes de desligar disse: “Vini, muito obrigada por todas as vezes em que você me ajudou a começar a fazer os meus exercícios da escola. ”

Quando eu era bem pequeno, enquanto esperava minha mãe voltar do trabalho, eu ficava sob os cuidados de minha querida avó. Algumas vezes minha mãe colocava tangerina na minha lancheira, e como não tinha força suficiente para descascar aquela fruta com a casca muito dura, lembro bem que eu corria desesperadamente até minha avó e pedia: “Vó, está difícil, por favor, começa a descascar pra mim.” O que eu queria era que ela fizesse a primeira rasgadura na casca da tangerina, “começasse o começo”, me ajudasse a dar aquele primeiro passo, que era o mais duro e resistente, para as minhas mãos pequenas. Dali em diante, eu mesmo tirava o que sobrou da casca.

Infelizmente minha avó já se foi há um bom tempo, porém, ainda assim, vez ou outra, exaltadamente, meu pobre coração reclama da importância de ter alguém ao meu lado “começando o começo” por mim, descascando as incontáveis cascas duras que encontro na minha rotina.

Hoje em dia, minhas “tangerinas” são outras, maiores e com a casca bem mais dura do que as que minha mãe colocava na minha saudosa lancheira. Preciso “descascar”, muitas vezes sem ajuda, o contratempo para fazer o que o coração pede, a correria de ser universitário, as dificuldades do trabalho, os embaraços dos relacionamentos, problemas familiares, dificuldades financeiras, doenças, perdas, desilusões, medos e a busca infinita pela fórmula da felicidade. Nessas idas e vindas, muitas vezes a vida termina virando uma salada de frutas, as tangerinas terminam se transformando em abacaxis gigantescos ou em limões bem azedos.  

Assim que minha prima encerrou a ligação, lembrei do que minha avó - com seus ensinamentos budistas – me dizia toda vez que eu lhe pedia para descascar a tangerina: “Lembre-se sempre de ajudar as pessoas a dar o primeiro passo, assim como estou fazendo com você agora.”

Depois de tantas tangerinas, abacaxis, limões bem azedos e até pepinos descascados durante a minha trajetória, fico radiante em saber que atendi a recomendação da minha avó e pude “começar o começo” de um problema na vida de alguém. Eu acredito que você que está lendo esse texto também tem a capacidade de “começar o começo” ou até mesmo resolver todo o problema da vida de alguém. O que minha prima me disse no final daquela ligação foi o meu melhor presente de aniversário.

4 comentários:

Kelma Silva disse...

Sem dúvidas é um dos teus melhores textos, parabéns.

Kelma

Fátima Soares disse...

Ótimo texto Vinicius!

Começar de novo
E contar comigo
Vai valer a pena
Ter amanhecido

Ter me rebelado
Ter me debatido
Ter me machucado
Ter sobrevivido
Ter virado a mesa
Ter me conhecido

Ter virado o barco
Ter me socorrido

Começar de novo
E contar comigo
Vai valer a pena
Ter amanhecido

Sem as tuas garras
Sempre tão seguras
Sem o teu fantasma
Sem tua moldura
Sem tuas escoras
Sem o teu domínio
Sem tuas esporas
Sem o teu fascínio

Começar de novo
E contar comigo
Vai valer a pena
Ter amanhecido

Sem as tuas garras
Sempre tão seguras
Sem o teu fantasma
Sem tua moldura
Sem tuas escoras
Sem o teu domínio
Sem tuas esporas
Sem o teu fascínio

Começar de novo
E contar comigo
Vai valer a pena
Já ter te esquecido

Bruna Laranjeira disse...

Ainda encontrarás uma descascadora de tangerinas, rs, pois ainda terás retorno do bem que fazes a outrem.

Antônio Athanazzio disse...

Delicado o texto. Fala de um sentimento bonito que existe nas nossas relações. Cara, estou virando seu fã. Adorando ler os seus textos!!! Já leu as crônicas de Rubem Braga? É que você tem um jeito simples de contar sentimentos profundos que esbarra nele. Parabéns!