terça-feira, 25 de setembro de 2012

VERDE COMO A GRAMA


Quando você se hospeda num resort, o que você espera dele? Uma cama confortável, uma suíte arrumada, uma lobby bem decorado, um café da manhã recheado de opções. Se ele estiver localizado na beira da praia, você imagina uma área verde paradisíaca com um contraste do azul da piscina e o verde do mar. E no Hotel Resort Catussaba, você encontra tudo isso. Mas, pasme, ao invés de azul, a piscina de um dos melhores hotéis de Salvador é verde.

Consegui uma folga na tarde de sexta-feira no trabalho, peguei minha namorada e utilizamos o cupom dessas compras coletivas de duas diárias no Catussaba. Demos entrada no resort às 14 horas de sexta até o meio-dia de domingo. Aliás, alguém pode me dizer por que o dia no hotel tem 22 horas e não 24 como era antigamente? Mas isso é assunto pra depois. Bom, chegamos no estacionamento. As vagas são bem espaçosas, todo cheio de coqueiros, bonito. Na recepção, sofás grandes, confortáveis, num estilo beirando a antiguidade. Os atendentes bastante educados, ágeis. E tão logo terminamos o check-in, já estávamos no quarto. Porta de cartão, como manda o figurino da modernidade. A cama segue a imaginação, bastante confortável. Quarto aconchegante. TV de LCD.

O Catussaba ia conquistando a nota máxima. Até que ao pisar no gramado da área verde ou externa, bastou eu ver um pedaço da piscina pra perceber que ela estava verde. 

Percepção confirmada ao chegar mais perto. Não é possível que um resort do tamanho que é o Catussaba não tenha conseguido manter a piscina limpa bem na minha vez. Minha namorada me pediu calma, “Eles devem limpar pra amanhã”, disse ela. Mas limpeza de piscina de um dia para o outro é tirar folhinhas, mosquitos, essas coisas. Mudar a cor de algum líquido, só Cristo que transformou água em vinho no estalar dos dedos. Já para as piscinas, não existe milagre de passar do verde para o azul de um dia para o outro. O final de semana seria de piscina verde.

A gente tinha acabado de chegar, resolvi não esquentar a cabeça com isso e pedi uma cerveja pra brindar o fim de semana. E deixei pra pensar nisso no outro dia. O atendimento foi normal, cerveja gelada. Os preços da roska (mulher adora...) de acordo com o mercado, o gosto também e a calibragem da vodka na medida certa. Só não era perfeito porque a piscina era verde como a grama.

No sábado, acordamos e descemos pra tomar café. Foi quase tudo perfeito. A mesa do desjejum tinha diversas opções, muita variedade de pães, beiju feito na hora, garçonetes bastante atenciosas e proativas. O ponto alto é que ao invés de moscas, quem sobrevoava a área ao redor, eram os passarinhos. Que comiam os restos na mesa, quando as garçonetes demoravam 5 segundos para recolher. Mas só não foi perfeito porque a piscina era verde como a grama.

Na área externa (pra não repetir palavra), tão logo deitamos na espreguiçadeira e a professora de educação física já veio oferecendo uma atividade física na piscina. Espécie de hidroginástica animada, com música, dança, pra divertir o pessoal e fazer o tempo passar. O número de garçons ao redor da piscina triplicou. E o atendimento manteve o bom nível. No entanto, apesar de toda a comodidade e conforto, a piscina era verde como a grama.

Perguntei para um funcionário do resort se tinha algum gerente na casa. Ele me disse que o gerente geral não estava, mas sempre tinha um gerente plantonista no local. E citei que iria reclamar da piscina. Ele me chamou e começou a falar baixo.


“Olhe, reclamar não vai adiantar. Esse problema é histórico. A piscina sempre foi verde. Acontece que para manter ela azul, precisaria trocar o filtro todos os dias, por causa da areia. Só que além do filtro seria necessário trocar a água. Essa água da piscina é de poço, assim como a água que vai para os quartos dos hóspedes. O que deveria ser feito era uma obra para que trocasse o encanamento e a piscina fosse abastecida com a água da rua, da Embasa. Só que não querem fazer isso, porque acham que os custos serão altos. Então, muita gente que vem aqui, não volta mais por causa da piscina que é verde. E aqui na região tem outros grandes hotéis e resorts”, explicou. E eu também não volto! Vou procurar um concorrente da região que tenha piscina azul.


Uma piscina para um hotelzinho é um atrativo que pode contar ou não. Alguns hóspedes vão descer para dar um mergulho. Outros não. Já num resort, a piscina é a principal diversão. Então ela precisa ser bonita, bem cuidada, limpa, azul brilhante, água cristalina. E não verde. Eu fiquei na beira da piscina, mas fui tomar banho no mar. O sal, eu tirava no chuveiro. É broxante você chegar num resort grande, bonito, bem decorado e se deparar com uma piscina verde.

“O melhor que o senhor tem a fazer é tirar uma foto e colocar na internet”, concluiu o funcionário. E eu pensei, “É, o cara me deu um bom tema para minha coluna de terça”.


Um comentário:

Bruna Laranjeira disse...

Enquanto ninguém reclamar vai ser sempre assim.Se você paga por uma diária de hotel, você paga por conforto e higiene. Isso que o Catussaba faz é falta de higiene.Você pode, Leandro, denunciar o hotel à vigilância sanitária.Lamentável situação.